A Terra Quente Transmontana (TQT) é uma região de transição entre o Alto-Trás-os-Montes (a Terra Fria e o Alto Tâmega) e o Douro, marcada pelos vales dos rios Sabor e Tua que correm encaixados para o Douro, e por fossas tectónicas, de Mirandela e da Vilariça, sendo os acidentes de relevo de maior destaque as Serras de Bornes e dos Passos.

A TQT tem caraterísticas climáticas próprias, com verões muito quentes e secos e invernos rigorosos, que determinam um coberto vegetal e culturas de tipo mediterrânico. Os solos são maioritariamente xistosos com baixo teor de matéria orgânica, a agricultura praticada é dominantemente familiar e de minifúndio (castanha, hortícolas, azeitona, uva, cereja, maçã, amêndoa,…) relevando-se, no entanto, algumas explorações de natureza empresarial, nomeadamente na área da olivicultura, fruticultura e viticultura.

Apresenta uma grande diversidade ambiental e paisagística de rara beleza, com destaque para os vales do Sabor, do Tua e da Albufeira do Azibo e conta com um conjunto de áreas classificadas pertencentes à rede Nacional de Áreas Protegidas, como a Albufeira do Azibo e os Parques Regionais Naturais do Tua e do Baixo Sabor, este último em fase de constituição, e ainda os Sítios de Interesse Comunitário (SIC), de Morais e do Romeu, que integram a Rede Natura 2000. Uma parte do concelho de Carrazeda de Ansiães integra o Douro Património da Humanidade, classificado pela UNESCO em 2001, em reconhecimento do caráter único e excecional do território e da paisagem trabalhada pelo homem.

Possui um relevante património geológico com rochas de um antigo oceano e de um antigo continente, com cerca de 500 milhões de anos, constituindo elementos importantes para a compreensão da história do nosso planeta. Existem cerca de 42 Geossítios identificados que integram o Geopark Terras de Cavaleiros, em Macedo de Cavaleiros.

É rica em património cultural, material e imaterial, ainda relativamente preservado, que revela o conjunto de usos e costumes ancestrais no seio das respetivas comunidades. A região apresenta também uma memória da cultura judaica que, à semelhança de outros pontos do interior do País, constitui um património relevante que importa preservar e divulgar.

Por todo o território existem vestígios arqueológicos, ricos e diversos, que remontam ao período da pré-história e ilustram as diferentes ocupações que a região conheceu ao longo dos séculos. Em matéria de património arquitetónico civil destaque quer para a arquitetura popular com conjuntos edificados de construções tradicionais utilizando materiais locais adaptados às condições climáticas e ambientais da região, quer para as casas senhoriais dispersas pelo território chamadas de “casas grandes”.

Referência também para o artesanato rico e diversificado (cestaria, tanoaria, tecelagem), e para as festividades tradicionais de que a Festa dos Caretos, em Podence, é a mais relevante.
O território de atuação ocupa a área total de 2.225,11 Km², é composto pelos concelhos de Alfandega da Fé, Carrazeda de Ansiães, Macedo de Cavaleiros, Mirandela e Vila Flor, no distrito de Bragança, insere-se na NUTIII Alto Trás-os-Montes, com a exceção de Carrazeda de Ansiães que se insere na NUTIII Douro.