Formação Públicos Estratégicos

A DESTEQUE é a parceira da AKTO, Associação sem fins lucrativos e ONG, num projeto de formação em Públicos Estratégicos para a região NORTE.

Estão definidas no plano de formação da candidatura aprovada ações de formação referem-se às seguintes temáticas, e vão decorrer no ano 2021:

– Tráfico de seres humanos (30h)

– Igualdade de género (58h)

– Formação de formadores em Igualdade de género (72h)

O calendário de formação vai iniciar-se já no dia 8 de fevereiro com o seguinte curso:

Nome do curso: Formação de agentes qualificados que atuem no domínio da Prevenção, Sensibilização e Combate ao Tráfico de Seres Humanos

Datas: 08, 10, 12 (18h30m – 22h30), 15, 17, 19, 22, 24 e 26 de Fevereiro (18h30m – 21h30)

Regime: online

Duração total: 30 Horas

Local: Região Norte

Investimento: Gratuito (com direito a subsídio de alimentação*, material de apoio e Certificado)

 

As inscrições estão abertas, e encerram no dia 4 de fevereiro, estando disponíveis na hiperligação http://bit.ly/2KRKTdp

 

Programa:

PARTE I – CONHECER E PROBLEMATIZAR

  1. Enquadramento Geral – 6 horas

1.1. O Tráfico de Seres Humanos como uma violação de direitos humanos

1.2. O Tráfico de Seres Humanos como um problema à escala global

1.3. A globalização dos mercados de trabalho, as desigualdades económicas e sociais, a pobreza (feminização da pobreza), as migrações, as desigualdades de género, a prostituição

1.4. Compreensão da atuação das redes, as formas de controlo e os modos de exploração

  1. Enquadramento Legislativo – 6 horas

2.1. Conhecimento da posição de Organismos Internacionais sobre o problema do Tráfico de Seres Humanos

2.2. Identificação, ao nível nacional, dos quadros legais e de ação

2.3. O III Plano Nacional de Prevenção e Combate ao Tráfico de Seres Humanos 2014 -2017 (III PNPCTSH) 1 como instrumento estratégico-nacional de intervenção contra o Tráfico de Seres Humanos

PARTE II – PROTEGER E APOIAR

  1. Os/As Diferentes Profissionais da Intervenção – 3 horas

1.1. O Papel dos/as Profissionais (atitudes, crenças, vivências e perceções face ao tráfico de seres humanos)

1.2. A importância do trabalho em rede

1.3. Analisar propostas de intervenção no que diz respeito aos fundamentos, aos objetivos e ao papel dos/as diferentes interventores/as no trabalho em rede

  1. Sinalização-Identificação-Integração das Vítimas de Tráfico de Seres

Humanos – 3 horas

2.1. Formas de sinalização, identificação e integração de vítimas de tráfico: construção de uma abordagem integrada de aproximação e intervenção com pessoas traficadas, permitindo a sua identificação como vítimas, bem como uma intervenção holística ao nível das várias áreas do saber e de intervenção e integração.

  1. O processo de Apoio – 6 horas

3.1. Dinâmicas e processos associados às vivências de experiências traumáticas

3.2. Consequências e impacto da vitimação

3.3. O Processo de Apoio tendo por base o modelo de intervenção em crise

 

PARTE III – METODOLOGIAS DE FORMAÇÃO NA ÁREA DO TRÁFICO DE SERES

HUMANOS – 6 horas

Utilização de métodos e técnicas andragógicas promotoras da aprendizagem e facilitadoras da apropriação de conhecimento nas temáticas do tráfico de seres humanos.

Programa de acordo com Referencial de Formação da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género

 

Destinatários/as:

– Profissionais da área social e técnicos/as de organizações (ONG, IPSS, entre outros);

– Pessoal dirigente e técnico da administração pública local;

– Profissionais de saúde, educação, órgãos de polícia criminal e outros públicos estratégicos com uma intervenção direta.

 

Os/as participantes detentores de pelo menos nível 6 do Quadro Nacional de Qualificações**.

 

Formadoras:

Marta Pereira:

Licenciada em Educação Social, pela Escola Superior de Educação do Porto é atualmente Supervisora das cinco Equipas Multidisciplinares Especializadas de Assistência a Vítimas de Tráfico de Seres Humanos, gerida pela Associação para o Planeamento da Família e Coordenadora e Educadora Social do Centro de Acolhimento e Protecção a mulheres e seus filhos menores vítimas de Tráfico de Seres Humanos, também gerido pela Associação para o Planeamento da Família e financiado pelo Instituto de Segurança Social.

Possui o Certificado de Competências Pedagógicas (CCP) e é formadora dos Cursos “Formação de Agentes Qualificados/as que actuem no domínio da prevenção, sensibilização e combate ao Tráfico de Seres Humanos e no apoio às suas vítimas”, bem como em diferentes áreas relacionadas com Igualdade de Género, Violência de Género, Voluntariado de Proximidade, intervenção social.

 

Sandra Silvestre:

Animadora comunitária, coordenadora de projetos socioeducativos, formadora e consultora na área da economia social e solidária. O seu percurso é muito marcado pela AJPaz – Ação para a Justiça e Paz, ONGD onde começou a sua formação prática, mas também por redes como a Marcha Mundial das Mulheres e a Animar – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local.

 

Tem-se dedicado a projetos de cidadania, democracia participativa, igualdade e direitos humanos e recentemente destaca o trabalho com o Grupo Aprender em Festa (Gouveia), entidade de que faz parte, e na iniciativa Roteiro Cidadania em Portugal promovido pela ANIMAR – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local com a Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade.

 

É formadora, especialmente em temáticas relacionadas com a Igualdade de Género e com metodologias da educação não-formal, e tem colaborado com inúmeras entidades, especialmente da região centro, na qual se destaca a Akto. Referir ainda que é formadora certificada de Professoras/es na área de Educação para a Cidadania.

 

É ativista social e colabora em Coimbra com a Casa da Esquina, o CES/Grupo das Ecologias Feministas de Saberes, entre outras. Foi também produtora cultural no TEUC, Teatrão, JACC e assessora parlamentar.

 

Atualmente é consultora da Skillent no Município de Vila Nova de Poiares.

 

Vanessa Branco:

Licenciada em Psicologia da Saúde pela Universidade do Porto e Mestre em Psicologia Comunitária pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada.

Exerceu funções em projetos de intervenção comunitária junto de diversos públicos em situação de vulnerabilidade, desenvolvendo a sua intervenção com enfoque nos direitos humanos, na igualdade, no acesso universal à saúde, à educação e ao trabalho.

Desde 2016 que trabalha especificamente com vítimas de tráfico de seres humanos e em 2018 passou a coordenar a Equipa Multidisciplinar Especializada (EME) para Assistência de Vítimas de Tráfico da Zona Norte do país.

É membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) e possui Certificado de Competências Pedagógicas (CCP).

 

 

 Co-financiamento:

 

Parceiros:

Numero mínimo de participantes: 10

* Para que seja pago o Subsídio de Refeição, os formados têm, obrigatoriamente, que assistir por dia a pelo menos 3 horas de formação.

Nome do curso: Formação de Formadores/as para a obtenção de especialização em Igualdade de Género – Ação de Formação 1

Datas: 7, 8, 13, 15, 20, 22, 27, 29 de Abril (18h30m – 22h30) 5, 7,10, 12, 17, 18, 24, 26, 31 de Maio e 2 de Junho (18h30m – 22h30)

Regime: online síncrono

Duração total: 72 Horas

Local: Região Norte

Investimento: Gratuito (com direito a subsídio de alimentação*, material de apoio e Certificado)

Programa

Parte I – Enquadramento conceptual – 6 horas

  1. Igualdade, diversidade e cidadania.
  2. Sexo e género.
  3. Papéis sociais de género, paradigmas e estereótipos.
  4. Linguagem como paradigma das (des) igualdades.
  5. Coeducar para uma cidadania democrática.

Parte II – Igualdade de Género – 12 horas

  1. As rotas do(s) feminismo(s) em Portugal – percurso histórico.
  2. Orientações estruturantes para a igualdade entre homens e mulheres: V Plano Nacional para a Igualdade de Género, Cidadania e Não-Discriminação 2014-2017 (V PNI); V Plano Nacional de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e de Género 2014-2017 (V PNPCVDG), que inclui o III Programa de Ação para a Prevenção e Eliminação da Mutilação Genital Feminina 2014-2017 (III PAPEMGF); III Plano Nacional de Prevenção e Combate ao Tráfico de Seres Humanos 2014-2017 (III PNPCTSH) e o II Plano Nacional de Ação para a Implementação da RCSNU 1325 (2014-2018).
  3. Mecanismos nacionais e internacionais para a promoção da igualdade de género.
  4. Responsabilidade social das organizações da sociedade civil para a concretização da igualdade de género.

Parte III – Roteiros temáticos de género: abordagem social e jurídica – 36 horas

  1. Dimensão pessoal e familiar.
  2. Dimensão profissional.
  3. Conciliação entre a vida profissional, familiar e pessoal.
  4. Democracia paritária – poder político e tomada de decisão.
  5. Violência de género.
  6. Saúde, Direitos sexuais e reprodutivos.
  7. Mainstreaming de género e Ações positivas.

Parte IV – Metodologias de formação em igualdade e sugestões de operacionalização – 12 horas

Utilização de métodos e técnicas andragógicas promotoras da aprendizagem e facilitadoras da apropriação de conhecimento nas temáticas da igualdade de género. Tal deverá ser concretizado através da dinamização de diversas atividades grupais nas diferentes áreas da igualdade de género.

Programa de acordo com Referencial de Formação da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

 

As inscrições estão abertas, e encerram no dia 4 de abril, estando disponíveis na hiperligação AQUI

 

Destinatários/as

 

Profissionais ativos/as empregados/as que residam e/ou exerçam funções na zona norte detentores de pelo menos nível 6 do Quadro Nacional de Qualificações** e Certificado de Competências Pedagógica.

 

Formadoras

 

Ana Parada Costa:

É licenciada em História pela Universidade de Coimbra e pós graduada em Ciências Políticas pela Universidade de Siena, Itália. Desde 2006 que exerce funções de Técnica Superior e Coordenadora em projetos nacionais e internacionais nas áreas de Igualdade de Género e Cidadania. É Formadora das temáticas de Igualdade de Género e Cidadania. É membro do Conselho Consultivo da Comissão para a Cidadania e Igualdade desde 2005. Representou as ONG de Portugal na ONU, na 42ª sessão do CEDAW- Comité para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação sobre as Mulheres, em 2008. Nesse ano, foi membro da Comissão Organizadora do Congresso Feminista. Até 2013 foi membro da Coordenação Nacional da Marcha Mundial das Mulheres. Foi membro do Conselho de Administração do Lobby Europeu das Mulheres- Bruxelas- em 2014/5. É Juíza Social no Tribunal de Família e Menores da Comarca de Coimbra. Membro de várias ONG de Direitos das Mulheres.

 

Sandra Silvestre:

Animadora comunitária, coordenadora de projetos socioeducativos, formadora e consultora na área da economia social e solidária. O seu percurso é muito marcado pela AJPaz – Ação para a Justiça e Paz, ONGD onde começou a sua formação prática, mas também por redes como a Marcha Mundial das Mulheres e a Animar – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local.

Tem-se dedicado a projetos de cidadania, democracia participativa, igualdade e direitos humanos e recentemente destaca o trabalho com o Grupo Aprender em Festa (Gouveia), entidade de que faz parte, e na iniciativa Roteiro Cidadania em Portugal promovido pela ANIMAR – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local com a Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade.

É formadora, especialmente em temáticas relacionadas com a Igualdade de Género e com metodologias da educação não-formal, e tem colaborado com inúmeras entidades, especialmente da região centro, na qual se destaca a Akto. Referir ainda que é formadora certificada de Professoras/es na área de Educação para a Cidadania.

É ativista social e colabora em Coimbra com a Casa da Esquina, o CES/Grupo das Ecologias Feministas de Saberes, entre outras. Foi também produtora cultural no TEUC, Teatrão, JACC e assessora parlamentar.

Atualmente é consultora da Skillent no Município de Vila Nova de Poiares.

 

 Co-financiamento:

 

Parceiros:

Numero mínimo de participantes: 20

* Para que seja pago o Subsídio de Refeição, os formados têm, obrigatoriamente, que assistir por dia a pelo menos 3 horas de formação.